Funcionário “Virtual” por Murilo Milek

Bom dia Cambada, hoje tentaremos promover aqui um exercício filosófico, vamos tentar definir expressões. A expressão do dia é: “funcionário fantasma”.

Funcionário fantasma nada mais é que um sujeito que aparece como contratado numa lista de pagamentos de um determinado lugar, mas que na verdade não trabalha nesse lugar. É óbvio que isso praticamente só acontece em instituições públicas, muitas dessas vezes no glorioso Poder Legislativo. Afinal, quem contrata funcionário que não trabalha não vai querer pagar do próprio bolso, seria um desperdício de dinheiro!!!!

Agora leiamos a seguinte notícia:

“Com apenas três votos contrários e 23 deputados ausentes, a Assembléia Legislativa do Paraná aprovou ontem com folga a emenda ao projeto da transparência que legaliza a contratação de “funcionários virtuais” – assessores dos deputados que não vão precisar cumprir expediente nos gabinetes e podem ter outro trabalho na iniciativa privada. Para cientistas políticos, a emenda, do deputado Elton Welter (PT), abre brechas para a contratação de funcionários fantasmas.

A justificativa de Welter para alterar o projeto original elaborado pela Mesa Executiva da Assembléia é que os deputados precisam de assessores qualificados, mas seria muito caro pagar o salário de um profissional com dedicação exclusiva à Assembléia. “Vamos poder contratar técnicos de renomado saber que não podem dar expediente integral aqui. Exigir isso seria enclausurá-los”, argumentou Elton Welter. Para ele, a emenda é “transparente”.”

Fonte: Gazeta do Povo de 16 de abril de 2009.

É o tipo de notícia que qualquer um que lê, com mínimo de senso crítico, se sente um merda por morar aqui. “Para cientistas políticos, a emenda, do deputado Elton Welter (PT), abre brechas para a contratação de funcionários fantasmas.” Abre brechas!?!? Ela legaliza a contratação de funcionários fantasmas, quer dizer, nos termos do Estado laico, “funcionários virtuais”.

Pensando nisso, e levando em consideração que é o meu, o seu, o nosso rico dinheirinho que pagará os funcionários virtuais, nós queremos saber, quais funcionários virtuais deveriam ser contratados pela câmara?

a) Mário e Luiggi, do clássico Mario Bros – Os melhores encanadores da história virtual, muito úteis para acabar com vazamentos de todo tipo.

b) Blanka, do Street Figther – Talvez o personagem brasileiro de maior renome no mundo virtual. Poderia ser um Cônsul, ou um diplomata de qualquer espécie.

c) Kratos, do God Of War – Como ministro da defesa.

Algum outro? Responda, comente, tente, invente, faça um Brasil deferente. (há há há …)

Meu único medo é que a Shadaloo se aproveite dessa brecha e de um golpe e o Mister Bison seja o próximo ditador.

Ai ai, onde eu esqueci minha bomba atômica mesmo? Tchau…

Anúncios

2 comentários

Filed under opinião

2 responses to “Funcionário “Virtual” por Murilo Milek

  1. opiniaodesegunda

    Salve!
    Shadaloo essa é do meu tempo….
    Bom, rapidinho, funcionário virtual? Lógico que nosso excelentíssimo deputado só pode ter criado durante muito tempo seu próprio “bixinho virtual”, e ter um caso extraconjugal com o dito cujo.
    Respondam …
    Alguém lembra o nome daquelas pragas?

  2. Murilo, não que seja obrigatório

    Taniguchi! // não ???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s