Talento desperdiçado por J R Tosco

ATENÇÃO: Conteúdo altamente egocêntrico.

Pára e pensa comigo. Alguma vez você já experimentou a sensação de contemplar alguma coisa na mídia e pensar que poderia ter feito melhor? Claro, estou falando da mídia descente, aquela que ainda consegue fazer filmes e séries relevantes. Pois é, acho que isso começou a me deixar intrigado quando vi aquele filme infame sobre o rei Arthur, King Arthur, de 2004, dirigido pelo Antoine Fuqua. O filme é uma tentativa de releitura do mito arturiano. Mas é extremamente mal embasado, sem nenhuma característica épica que se espera de uma obra como essa, e esses são só dois dos muitos problemas dele. Acontece que exatamente nesta época eu estava lendo a série de livros de um autor britânico chamado Bernard Cornwell que tratava do mesmo assunto, o mito arturiano, e tinha a mesma proposta, fazer uma releitura baseada em descobertas arqueológicas recentes. Ai eu pensei, “Nossa eu queria e muito ver isso no cinema ao invés daquilo, eu poderia ter adaptado isso, iria ficar bacana”.

Desde então, muitas coisas me deixaram com essa sensação. As sequências do filme Matrix, principalmente o terceiro filme. Tenho até uma teoria maluca de que não foram os irmãos Wachowski que escreveram aquilo. Compare o primeiro com o segundo e o terceiro. Tem alguma coisa muito errada ali. Um exemplo mais recente é a série de televisão Heroes. Começaram bem até, mas depois arruinaram tudo. Qualquer fã de quadrinhos poderia fazer bem melhor do que estão fazendo com a série no momento. E pior, até eu que sou um mero apreciador poderia escrever coisas melhores.

E é exatamente neste ponto que a coisa ganha um caráter perturbador. Eu estou aqui, no Brasil, terceiro mundo, tendo que agüentar o Lula, a “crise”, a falta de noção das pessoas e por ai vai, sendo que poderia estar lá, no primeiro mundo, morando em um chalé a beira de um lago frio no Canadá, como todo bom escritor excêntrico, confortavelmente remunerado e ainda trabalhando em coisas muito mais interessantes do que qualquer uma que eu possa arranjar aqui. Fora os shows do Rush e da Alanis Morissette que eu to perdendo. Algumas pessoas podem argumentar que é preciso batalhar, ralar pra estar lá, que eles são muito bons e não sei mais o que. Eu discordo.

Acho sinceramente que é um desperdício imenso de talento. Quantas outras pessoas bem mais talentosas e capazes estão na mesma situação que eu? O único pensamento que me oferece um pouco de alento e consolo quando penso nisso é o de que a industria da mídia ta perdendo muito mais dinheiro do que eu.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under opinião

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s