Ta aí a saudade, que não me deixa mentir… por Murilo.

Imaginemos a seguinte situação: um grupo de amigos resolve dar uma festa, como já é tradicional entre eles cada um levará sua bebida e sua comida, porém um deles tem uma idéia, já que cada um vai cuidar de sua bebida e sua comida, no lugar de se reunirem para confraternizar eles poderiam preparar cada um sua comida em casa e ficar nela em contato com os demais via MSN, e assim eles poderiam fazer a tal festa e conversar sem sair de casa. “Não é brilhante?”Bom, se esse grupo de amigos tiver o mínimo de bom senso nunca mais vai convidar esse toupeira para nada.

De fato, é absurdo fechar-se em um mundo particular e partir dele para emitir julgamentos sobre o todo, porém você vive necessariamente em seu mundo, ele é sua base, logo seria tão absurdo quanto fechar os olhos para ele e passar o dia em contato com a realidade via jornal, rádio, TV e internet, isso é, trocar a vivência pela informação. Uma das idéias que eu creio ser das mais perigosas sobre a mágica internet é a de que “a China é logo ali”, isso é, que você não precisa mais se deslocar até um lugar para conhecê-lo, ou então que você não precisa viver em determinada cultura para conhecê-la, ou então que você pode continuar desfrutando da cia daquele seu amigo que foi para o Japão; enfim, esse modo de pensar acaba por desvestir a presença de importância e fazer com que se aceite a mediatização do contato com o outro como algo normal.

Existem dois fenômenos bem emblemáticos disso: O primeiro são os Flashmobs – mobilizações relâmpago combinadas via internet que tem como objetivo ‘ser um idiota em grupo’, nessas reuniões são feitas coisas como dançar em aeroportos, se vestir igual em um mesmo lugar, bater com os pés no asfalto durante o sinal vermelho, e por ai vai. O segundo são as manifestações descuidas de racismo, xenofobia, fanatismo religioso – como aquela da postulante a advogada do Twitter, logo após a eleição de Dilma Rousseff – ou então vídeos caseiros bisonhos que se tornam públicos graças a gênios que se filmam trepando, ou cantando Lady Gaga, ou cantando Lady Gaga enquanto trepam, usando a webcam. O que tem de coincidente entre esses dois casos é a ignorância completa do olhar crítico do outro, isso é, jamais se faria, ou mesmo proporia, esse tipo de coisa num churrasco entre amigos, ou num debate em sala de aula, ou em qualquer lugar público onde há o desconhecimento do modo de pensar do próximo, isso porque a proximidade e a presença acabam por gerar auto-crítica nas pessoas – motivada pela busca de reconhecimento pelo outro – que mostra para o sujeito o quanto descabidas são essas idéias, trocando em miúdos, o que há de comum entre esses casos é o que os sujeitos falam como se falassem sozinhos e esquecem a praça pública que é a internet.

Um camarada muito chato, há um bom tempo atrás disse que todo conhecimento começa com a experiência, essa no sentido de contato por meio dos sentidos com o objeto a ser conhecido; fora as discussões filosóficas possíveis sobre o tema, temos de relevar a chatice de Kant e sermos justos, e dizer que eles acerta quando diz isso. Claro que seria hipócrita de minha parte e uma burrice obvia e ululante tentar demonizar a internet usando para isso um blog, mas que ela não substitui, e nem pode substituir, para o bem geral da nação, a presença, não pode. Parafraseando a propaganda, ‘nada substitui a presença’.

 

Anúncios

8 comentários

Filed under opinião

8 responses to “Ta aí a saudade, que não me deixa mentir… por Murilo.

  1. opiniaodesegunda

    O Link acima NÃO É VÍRUS.

    Reparem no trecho do comentário inicial:
    “Os dois tipos anteriores de espetáculo deram lugar, no mundo todo, a um único tipo: o “integrado”. Sob a máscara da democracia, este remodelou totalmente a sociedade segundo a própria imagem, pretendendo que nenhuma alternativa seja sequer concebível. Nunca o poder foi mais perfeito, pois consegue falsificar tudo, desde a cerveja, o pensamento e até os próprios revolucionários. Ninguém pode verificar nada pessoalmente. Ao contrário, temos de confiar em imagens, e, como se não bastasse, imagens que outros escolheram. Para os donos da sociedade, o espetáculo integrado é muito mais conveniente do que os velhos totalitarismos. A América Latina sabe algo a respeito.”

  2. Adorei. Bom e instigante o seu texto. É de se pensar.

    vlw

    http://vivaiona.blogspot.com/

  3. Muito bom o post. imagina se fosse de primeira…hehe

  4. Thales

    Correto, fico pensando em como beber on line( pra quem bebe)…

  5. muito bom e bem escrito o seu texto parabens!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s