Considerações Filosóficas sobre Barack Obama, Bruna Surfistinha, eleições e a verdadeira vingança dos Nerds por “herr” Maximilian Drugba

Sem nada melhor para começar, gostaria de dar início a este texto comentando algo que presenciei há alguns dias na TV. Um comentador (cujo nome eu sinceramente não lembro) estava a dizer que o narrador esportivo Galvão Bueno, talvez um dos idiotas mais odiados da TV brasileira de todos os tempos, era um excelente ANIMADOR DE PÚBLICO. Bom, considerei e pensei a respeito e agora lhe pergunto caro leitor: se ele é um EXCELENTE animador, porque é então que eu fico desanimado quando ouço ele falar?

Essa foi boa pra começar, um a zero pra mim. Há alguns dias atrás estava eu perambulando pela faculdade onde estudo quando me deparei com um absurdo, um paradoxo, algo que pessoas racionais e ditas cultas deveriam estranhar, um cartaz da direção do meu curso que dizia:

“ELEIÇÕES PARA…

DIA…

LOCAL…

CHAPA ÚNICA: FULANO PARA…, CICLANO PARA…”

O que é isso? Chapa única em uma eleição, que tem como principal a escolha? Sei lá, pra mim, isso tá muito errado. Você que está lendo este post, pense sobre isso, afinal, isso acontece aqui, no Brasil, e pior, em uma instituição de ensino superior!!!

Sem mais comentários, vamos á próxima. A Bruna Surfistinha!!! Essa personagem me intriga deveras. Uma PROSTITUTA POP. Em uma entrevista recente, perguntaram á moçoila para que time ela torcia. Ela respondeu: Corinthians!!! Foi aqui que eu não entendi. A platéia aplaudiu!!! Não porque era mais uma resposta, mas sim por causa da preferência futebolística da entrevistada. Tipo: “Você viu? Ela torce pro Corinthians, que legal!!!” Aqui cabem alguns parênteses antes de continuar. Eu não tenho nada contra prostitutas, não me entenda mal, mas espera aí. Vamos analisar isso direito. As prostitutas são um conhecido “mal” das sociedades, desde os princípios dos tempos. Muitas pessoas na nossa sociedade são conservadoras, e portanto, não gostam das prostitutas. Bom, se a platéia do programa que eu estava assistindo não era composta de prostitutas e liberais (e eu tenho fortes razões para acreditar que não), então o que aconteceu? Em um país hipócrita e moralista como o nosso, como a platéia de um conhecidíssimo programa das nossas maravilhosas tardes de domingo aplaude o fato de torcer para o mesmo time que uma prostituta? Correndo o risco de me tornar repetitivo, novamente, pense sobre isso!!!

Agora, let´s talk about Obama. O cara esteve aqui há poucos dias. Foi mais ou menos assim: a mídia toda em cima, foco no vestido da excelentíssima senhora primeira dama, ênfase no “hollywodiano” esquema de segurança, enfim, apenas questões fúteis e superficiais. O interessante foi o “surpreendente” elogio, o “Brazil” como “POTÊNCIA DEMOCRÁTICA” aos olhos do todo poderoso. Aliás, isso merece um comentário estendido.

A gloriosa e próspera nação americana prejudica sistematicamente o nosso país (e demais nações) através de acordos e resoluções comerciais internacionais desonestas, ações protecionistas, e demais “sacanagens” que só um muleque maior pode fazer com um menor (veja mais sobre esse assunto abaixo), e o nosso amigo Imperador Obama chega aqui, distribui um bonito sorriso, manda um elogio e está tudo bem?

Lembro-me da “divertida história” da chegada da família real portuguesa ao Brasil. Conta-nos a história que ao desembarcar aqui, os portugueses, que vinham fugidos do rolo compressor de Napoleão, foram recebidos com honrarias, pompa e circunstância. A distinta corte tupiniquim, sempre ávida por algo vindo do mundo civilizado, notou algo pitoresco: quase todas as mulheres lusitanas usavam cabelos muito curtos, até mesmo raspados, e sempre acompanhados de finos lenços como adereço a suas “cacholas”. A explicação? Um surto de piolhos nos navios obrigou o mulherio a “radicalizar” no visual. Mais curioso ainda foi o que aconteceu depois. Sem saber do terrível surto, a corte brasileira passou a imitar o “civilizado” e “sofisticado” povo de além-mar. Em pouquíssimo tempo a maioria das mulheres brasileiras já usava o mesmo visual. O que dizer? Cômico e trágico. Confesso a vocês, caros leitores, que a semelhança entre os dois casos não é evidente, mas ela existe. Veja bem, ela está ali. Acredito que nossa nação só será alguma coisa no cenário internacional, e internamente também, quando pararmos de nos comportar como imagens distorcidas, marionetes, verdadeiros micos de circo.

Finalmente, o assunto do momento em todos os colégios, o “estranho caso do bullying reverso”, o magnífico Casey Heynes. Se você não sabe do que eu estou falando, atenção para este vídeo abaixo:

Sim, senhoras e senhores, o que vocês acabaram de ver foi a reação de um menino australiano de 16 anos, cansado de ser humilhado, ultrajado e ofendido. Então, para todos aqueles, gordinhos, “portadores” de óculos, assíduos estudantes, que já sofreram, ou sofrem com isso: ELE NOS VINGOU!!! TOMA MAGRELO “NORMAL”!!! ABAIXO AOS NORMAIS!!! VIVA OS DIFERENTES!!! HELLYEAH BABY!!!!

Anúncios

2 comentários

Filed under Filosofia de Butéco (Botéco), opinião

2 responses to “Considerações Filosóficas sobre Barack Obama, Bruna Surfistinha, eleições e a verdadeira vingança dos Nerds por “herr” Maximilian Drugba

  1. Murilo, o assustado

    Q isso? Intervenção alienigena?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s