Marco Aurélio, Cezar, e a suruba calígulariana na Roma Tupiniquim… por Murilo.

Eu não gosto quando o blog toma um tom jornalístico mas as vezes a gente se obriga a fazer o que não gosta por indignação. Por “tom jornalístico” entenda-se “comentário de notícias”. E semana passada (26/09 a 02/10/2011) a política brasileira, sempre tão fértil em matéria de desgraças, nos agraciou com mais algumas sobras sobre o nosso futuro. A bola da vez é o judiciário – ou talvez, seja ignorância minha, e eles é que sejam os “donos da bola”.

Com a economia mundial em crise e a brasileira desacelerando, o governo brasileiro milagrosamente resolve cortar gastos públicos – o que, se por um lado é um milagre em se tratando de governo brasileiro que sempre gastou muito mais do que devia, por outro lado começou muito mal, cortando verba da educação, o que não é corte de gastos e sim de investimentos. Porém, quando o governo acerta e resolve vetar o aumento de salários do Estado, os demais poderes cagam para a conjuntura, e resolvem legislar em causa própria, vivendo em seu próprio mundo, separados da realidade. Se aprovado, o projeto de Lei 6613/09 deve causar um impacto de 7,3 bilhões no orçamento a partir do ano que vem. E esse impacto é só o início, porque não deve levar nem um dia a mais nem um a menos para que o congresso e os funcionários do executivo peçam equiparação salarial por respeito ao princípio de isonomia. (Igualdade para e entre eles, Fraternidade entre os mesmos, e Liberdade para eles). http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/projeto-multiplica-supersalarios-no-judiciario/

Agora pergunta-se aos beneficiados: esta difícil de passar com R$ 27.000,00 por mês? Tente passar com R$ 900,00 por mês como faz a maioria dos professores desse país. O que um safado desses ganha por dia um professor ganha por mês!

E a safadeza não parou por aí. Nessa semana mesmo – dando a impressão de seguirem aquele princípio maquiavélico, ainda que distorcido, de causar o malefício todo de uma vez só aos súditos – o supremo tenta acabar com o poder do CNJ (Conselho nacional de justiça) de fiscalizar a atuação dos magistrados. Por mais que as penas aplicadas pelo CNJ aos corruptos soem mais como piadas do que como punições (“Aposentadoria Compulsória”; se você for pego roubando no jogo você não pode mais jogar, continua recebendo do estado, continua em liberdade, mas não pode mais vestir toga, nem ir no tribunal, nem trabalhar com carteira assinada…), ainda assim elas conseguiram afastar do esquema, desde 2005, pelo menos 49 magistrados. Agora o supremo resolveu acabar com isso e voltar ao antigo sistema de “auto-correção” ( A própria classe vai se investigar, muito eficiente…) que já tinha sido posto de lado justamente por conta do corporativismo instituído que reinava na justiça brasileira. http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,o-supremo-e-o-futuro-do-cnj-,777561,0.htm

Só para constar, os dois maiores trampas por trás dessa verdadeira suruba com o dinheiro dos brasileiros e com a justiça brasileira (termo que cada vez mais designa um conceito vazio) tem nome e sobrenome: Marco Aurélio Mello e Cezar Peluso, os “cabeças” do Judiciário – talvez por conta do trauma de seus nomes eles tenham essa propensão anti-democrata de passar por cima das necessidades do povo e de não admitir fiscalização externa; astrólogos poderiam confirmar essas disposições inatas através de uma leitura do mapa astral deles. Qual o problema? Quem acredita na justiça brasileira não vai ter muitos problemas para acreditar em astrologia… Assim como em Papai Noel, Coelho da Páscoa, Mano Menezes, etc…

Ministros rindo. DA SUA CARA!!!

 

Anúncios

29 comentários

Filed under opinião

29 responses to “Marco Aurélio, Cezar, e a suruba calígulariana na Roma Tupiniquim… por Murilo.

  1. É interessante observar isso (óbvio que nem tanto, pois, no fim das contas, é pura filhadaputagem). O interessante está no poder de decisão sobre os próprios salários, por exemplo. Como ninguém viu isso? Será que suspeitavam ingeuamente de uma ética superior de representantes públicos, senadores, ministros e etc?

  2. Supervalorizou-se o poder do voto, como se os que faltassem com a ética não conseguiriam mais se eleger, no caso dos elegíveis, que não é o caso dos ministros do supremo. E também vendeu-se a história de que a sociedade fiscalizaria a ação dos poderes, pura lenda!!!

  3. Thales

    Fingem que trabalham, fingimos que acreditamos… e daqui a pouco começa a novela! Todo mundo ta feliz? ta feliz!

  4. Olá;
    venho aqui te dá uma notícia mto boa… vc ganhou a promoção do nosso blog com sua frase. Então peço que entre em contato conosco com seus dados para podermos enviar o livro pra vc.
    Abraços
    UaiMeu!

  5. ave maria bicho, eu odeio politica por causa disso :S nos tinha q se reunir.
    e pedi pra sair esse poliicos todos

  6. Se cortassem um pouco o salário dos nossos “representantes” e investissem em educação, saúde, etc, tudo ficaria bem melhor..

  7. Infelizmente vai continuar assim,enquanto os brasileiros não tomarem decisões melhores.Se você ver o que um professor faz,e depois ver o que um politico faz,você veria que devia se trocar o salário.Políticos ganharem o que os professores ganham e professores ganharem o que os políticos ganham.Más em um país injusto como o Brasil vemos o contrário…

  8. blog muito interessante. vc não tem opinião de segunda! é de primeira mesmo! parabens! gosto quando as pessoas falam de temas complexos com bom humor!
    blogestarcomvoce.blogspot.com

  9. Lamentável isso. Só no Brasil mesmo, né?

    http://cliqueparafechar.blogspot.com

  10. Blog super interessante. Abordando assuntos difíceis de se tratar!
    Sinceramente, o mundo ta perdido, está tudo muito bagunçado!

    Abraços.

  11. é o Brasil querias o que?? Que fossem honestos???

  12. É interessante quando a necessidade de falar sobre isso salta da gente!

  13. É, parece que temos nosso Marco Aurélio e Cézar tentando reconstruir um império aqui no brazil. Pelo menos já instauraram uma orgia com o dinheiro público. O pior é que nós é que somos jogados no coliseu pra alimentar o Leão.
    Será que alguém chama o Nero pra botar fogo em Brasília logo de uma vez?

  14. opiniaodesegunda

    Excelente idéia!!!

  15. Cicero Silva

    Já penso diferente. A presidente não cumpriu a constituição ao não incluir no PLOA o orçamento do judiciário. Foi uma afronta. No mais, merece destacar que, em 2009, a maioria das categorias recebeu reajuste, ficando o judiciário de fora. Então não existe essa história de “equiparação salarial”. 2. o reajuste, bruto, importa em 31% e não 56%, tendo em vista que muitas rubricas não seriam reajustadas. 3. O impacto líquido é em torno de 5,2 bi, pois os 27,5% do IR voltam automaticamente, afora a previdência, de 11% sobre o total. 4. O STF propôs parcelamento em 6X semestrais, o que diluiria o impacto para 2bi para o exercício de 2012. Finalmente, 5: O judiciário (servidores) estão sem reajuste desde 2006 (na época parcelado até 2009). Só a inflação do período já beira os 20%. Se sobrar alguma gordura, será abocanhada nos anos vindouros pela inflação, no parcelamento. A questão que se coloca é: que Poder Judiciário a sociedade quer?

  16. opiniaodesegunda

    Um que tenha consciência de que o salário dos magistrados é exorbitante; que cumpre com muito mais que o necessário para que os juízes possam viver e trabalhar com todo conforto possível. Que se preocupe com a corrupção no país e não com seu próprio bolso.
    Que seja transparente. Que não se arrogue superior aos demais poderes. Que não se oponha a fiscalizações externas.
    Enfim, o que se espera do judiciário, nesse sentido, é o que se espera dos três poderes.
    Mas, quem sou eu para falar em nome da sociedade?!

    • Cicero Silva

      Pois é. Estamos falando de categorias DISTINTAS. O reajuste falado é aquele que os SERVIDORES solicitam. O dos juízes, frise-se, já está GARANTIDO em 5,2%.

  17. opiniaodesegunda

    Ah tá, o juízes vão receber só R$28.000,00 – e segundo a fonte citada: “em um grupo de apenas oito tribunais haverá um salto de 512 para 4.814 funcionários recebendo mais que o teto constitucional, hoje de R$ 27.723,13.”
    Não sei por que fiquei indignado, são só (arredondando para baixo) 130 milhões de reais por mês destinados para 4.814 pessoas… é quase um programa de transferência de renda; pobrezinhos!

  18. Cicero Silva

    Informação sempre é importante. E o que fazemos dela é mais ainda.
    Existe uma lei que diz que nenhum servidor receberá mais que o teto (daí o nome ‘teto’). Então quem escreveu que irá receber mais que o teto é, no mínimo, desinformado. 2. Sim, há pessoas (a maioria apadrinhados) que recebem muito no judiciário, mas a grande massa de servidores estão penando para sustentar suas famílias. E estamos falando de mais de 120 mil famílias. Não considero salutar tomar o todo pela parte. É a mesma coisa de dizer que os jornalistas são marajás porque uma ínfima parte recebe goldos salários.

  19. Cicero Silva

    digo, “gordos salários”. É minha parte “Cebolinha”.

  20. opiniaodesegunda

    De fato, admito que a matéria e o artigo aqui passam por cima des distições necessárias dentro grupo todo que vai receber o aumento; a questão é que quem decidiu pelo aumento foi a ‘parte’ criticada aqui, e não é por eles serem uma parte de um todo maior que o ato de aumentar os próprios salários se torna ético. Quer dizer, se existem diferenças entre os servidores, como você defende, por que então não aumentar os salários só de determinadas classes de servidores, em que os ganhos sejam reconhecidamente defasados? e de outros, como esses 4814 (antes 512) não aumentar.
    Agora, por que então os que foram prejudicados com as matérias que vinculam a informação, supostamente falsa, de que eles receberiam acima do teto, não reclamaram pela correção da matéria?
    O nome “teto” todo mundo entende, lei todo mundo sabe que existe, agora entre elas existirem e serem cumpridas há um longo hiato…
    E tudo isso ainda não diminui o fato de temos uma parcela de 130 milhões de reais, cujas fontes últimas são os trabalhadores, empresários, etc, qualquer um que produza e consuma no país, sendo dividída entre pouco mais de 4500 pessoas todo mês!
    Sem contar o fato de o Judiciário não aceitar ser fizcalizado por outro orgão que não seja ele mesmo.
    São demosntrações arcaicas de falta de ética e um caso claro de concentração de renda com a assinatura do Estado!

  21. Cicero Silva

    Muitas coisas erradas nesse país existem. E pode não acreditar, mas o Poder Judiciário é quem ainda tenta acertar nessa terra que convencionamos chamar de república.
    Só um exemplo (existem milhares): minha filha necessita de suprimentos para diabéticos. Pois não é que o governo não somente NEGA os suprimentos, como COBRA impostos sobre o que ela precisa e NÃO ACEITA rever essa posição? Sabe quem ajudou minha filha? O Poder Judiciário!
    Em todas as categorias há podres, mas a verdade é que um juiz tem pouca margem de manobra. A lei lhe tolhe a liberdade. E quem faz as leis? O legislativo. E depois a população cai em cima do judiciário quando ele liberta… ora, todos sabemos o que ocorre!!
    Na minha rua estão colocando calçamento ANTES de colocar esgoto (se é que um dia colocarão). O governo acabou de DOAR 15 BILHÕES aos banqueiros, mas não pode ceder em 5bi para 120 mil famílias…
    Quanto aos 4814 que citou, não se descabele. Antes de faltar qualquer coisa a qualquer um deles, todos os demais servidores do judiciário estarão pedindo esmolas.

  22. opiniaodesegunda

    Exato Cícero. É injustoo que acontece com sua filha! É errado o qu estão fazendo na sua rua. É moralmente codenável doar $$ a banqueiros! Assim como é injusto, errado e moralmente condenável repassar 130 milhões por mês há 4814 pessoas, como se o que elas ganhassem antes fosse pouco.Não é porque ocorre uma série de injustiças, erros e ações moralmente condenáveis qua a gente deve aceitar mais uma.
    Fica difícil aceitar a idéia de que o Judiciário é quem ainda tenta acertar por aqui e ao mesmo tempo não quer ser fizcalizado por ninguém que não seja ele mesmo, quem tenta acertar (agir certo) não deveria ter medo de ser fizcalizado.

  23. Cicero Silva

    Para encerrar esse debate, deixo uma sugestão: O CNJ determinou que todos os tribunais disponibilizem um atalho chamado “transparência” onde consta TODOS os gastos, inclusive de pessoal. A maioria está cumprindo e logo todos deverão cumprir. O judiciário não concorda com a ‘fiscalização’ externa porque haveria o viés político (mesma razão do STF ser mais político do que técnico: a indicação do chefe do executivo). Aliás, o CNJ está tão atuante que estão querendo cortar suas asas. Ou seja, a sociedade deve aprender a ler o conjunto e evitar conclusões apressadas.
    É como opinião.

  24. opiniaodesegunda

    Bom, de minha parte, para encerrar, gostaria de chamar a atenção para o fato de que se você digitar a palavra “transparência” no google um sem numero de páginas aparece; o legislativo e o executivo também estão com seus “portais de transparência” funcionando, inclusive a mais tempo que o judiciário, e isso não impediu ninguém desses dois poderes que quisesse de ser corrupto; portanto, isso não é garantia de nada.
    Sem fizcalização externa o Judiciário cai no colo dos corruptos, com fiscalização externa ele se obriga a ser menos técnico e mais político, a questão é: O que a gente prefere, corrupto ou político?
    Se o CNJ está tão atuante que estão querendo cortar suas asas dois dois lados – o judiciário e o “não-judiciário” – temos mai um motivo para defender o CNJ, precisamos mesmo de um orgão que incomode corruptos.
    Para finalizar, gostaria de dizer que não sou tão pretensamente bom assim para dizer o que a sociedade deve ou não aprender, não escrevi esse texto como professor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s